Escolha uma Página

Nunca se falou tanto em Dermatologia no Rio Grande do Norte quanto neste sábado (2) no Dia C de Combate ao Câncer de Pele. Foram mais de 1.500 pacientes atendidos entre consultas, orientação de fotoproteção e cirurgias no Hospital da Liga pelos dermatologistas voluntários da Sociedade Brasileira de Dermatologia no RN (SBDRN).

“Os dermatologistas do Rio Grande do Norte dedicaram o sábado a solidariedade. Nossa campanha é de prevenção e combate ao câncer de pele e o que vimos aqui – nas cirurgias e consultas – é que os pacientes precisam de atendimento médico, de médicos especialistas em pele para que não tenhamos futuros doentes de câncer no nosso estado”, destaca a presidente da SBDRN e dermatologista, Dra. Danielle Espinel.

A prevenção ao câncer de pele foi feita através de consulta e distribuição de cartilhas educativas. Com a ficha de número 60, Marcos Alves de Azevedo de 66 anos foi um dos primeiros a chegar na Liga. Às 5h ele estava na fila e disse que aguardava com ansiedade o atendimento. “Todo ano eu venho. Estou com esse sinal no rosto e não estou gostando porque coça e as vezes, sangra. Como eu já tive 3 vezes câncer de pele, vim pra saber de estou com ele de novo”, conta. O relato de seu Marcos é o que mais preocupa os dermatologistas. Ele espera há quase um ano o atendimento já que a rede pública de saúde tem um déficit de profissionais especialistas em pele. Motorista de caminhão, seu Marcos enfrenta as estradas do Brasil há mais de 40 anos e disse que não usava protetor solar. “O efeito nocivo do sol é cumulativo. Ele passou anos sem cuidar e proteger a pele. Infelizmente, essa é a realidade de muitos pacientes no RN”, destaca o dermatologista Dr. Leonardo Ribeiro.

[wp_bannerize group="thalitaads" categories="499,253,115,375,211,335,8,63,244,245,1075,350,3,527,24,1,65,54,572,7,503,78,10" random="1" limit="1"]

Também motorista (só que de linhas comerciais de ônibus em Natal), Francisco Raimundo da Fonseca Neto conta que ano passado descobriu um melanoma e que pela segunda vez vem ao mutirão do Dia C de Combate ao Câncer de Pele para ter atendimento médico. “Eu assisti na Tv que ia ter o atendimento e vim pra ver um sinal novo que apareceu”, conta o paciente.

Nem todos os pacientes atendidos receberam a notícia do câncer de pele mais comum no Brasil. Alguns, como a senhora Teresinha Oleinik, de 66 anos saíram com uma boa notícia de que a suspeita de câncer foi descartado e que os sinais tinham caráter apenas estéticos, sem prejuízos à saúde.

Os atendimentos aos pacientes do interior também chamam atenção. Grupos se organizam em caravanas em busca de atendimento, como o liderado por Ivanaldo Medeiros dos Santos, de 57 anos de Jardim do Seridó, região Seridó do RN. “Em 2015 vim pra o mutirão e tirei o primeiro sinal que apareceu. No mês passado, surgiu esse outro e já estou aqui de novo. Sei que aqui eles fazem tudo, examinam e já tiram se precisar”, afirma. Após a consulta, seu Ivanaldo também foi encaminhado pro setor de cirurgias e teve o câncer de pele retirado. Ele trabalhou na agricultura e jardinagem e por isso, a exposição solar tão intensa.

Na sala de cirurgia, seu José Brito Sobrinho de 81 anos também contou seu relato. Ele já tratou o câncer de pele por 5 vezes. Natural de São Pedro do Potengi, ele veio acompanhado da filha e após tratamento de cirugia e crioterapia, agradeceu a dermatologista Dra. Daniela Maia. “O procedimento cirúrgico foi feito em toda a pele que estava acometida pelo câncer e agora ele vai pra casa, continuar cuidando da saúde”, frisa a dermatologista.

Alunos de medicina que estudam para serem futuros dermatologistas também participaram do mutirão, acompanhando o atendimento dos médicos, como no consultório da Dra. Rafaela Teixeira. “O dezembro laranja é a ação que compartilha conhecimento, atendimento e prevenção e combate ao câncer de pele” conta.

No setor de triagem – onde são identificados ou descartados os casos de câncer de pele – o diretor da SBDRN, o dermatologista João Gomes destacou a carência de atendimento dos pacientes. “Muitos sinais e manchas que avaliamos aqui não são casos de câncer de pele, mas a carência de atendimento médico é tão grande que os pacientes querem atendimento”, conta.

Aos 85 anos, Miguel José de Oliveira, aposentado e morador de Santa Cruz, região Trairi do RN foi consultado por Dra. Ludmila Corral e encaminhado para cirurgia. “Ele contou que trabalhou na aeronáutica por muitos anos e não usava protetor solar. O resultado é que ele já retirou 5 vezes sinais que indicavam câncer de pele”, garante a médica.

As mulheres também procuraram atendimento. Natural de Canguaretama, na área de praia, a senhora Josefa Pereira dos Santos Silva de 71 anos foi convencida pelo filho a vir ao mutirão. “Ele viu no Face e disse pra eu vir pra Natal e olhar esse sinal no meu nariz. Era câncer e vou ficar boa logo”, frisa. Ao lado dela na fila de atendimento, dois pacientes jovens na faixa dos 30 anos que também foram diagnosticados com a doença.

A ação da SBDRN durou cinco horas e atendeu mais de 1.500 pacientes hoje e a campanha do dezembro laranja continua por todo o mês.